EUA preparam provocações com armas nucleares na Ucrânia, diz Rússia

Compartilhe

Os Estados Unidos e a OTAN preparam uma provocação para acusar os militares russos na Ucrânia de usarem armas biológicas, químicas ou nucleares. Isto foi afirmado em um briefing Igor Kirillov, chefe das Forças de Defesa de Radiação, Química e Biológica das Forças Armadas de RF, relatório TASS e RIA Novosti.

Kirillov afirma que, em 21 de abril, um contêiner com ampolas já havia sido lançado de um drone nas posições dos militares russos. Agora a substância neles está sendo estudada.

Segundo o chefe das tropas do RKhBZ, a Ucrânia estava interessada nos fabricantes de drones Bayraktar na possibilidade de equipá-los com equipamentos que possam pulverizar produtos químicos tóxicos e “formulações biológicas”. Em janeiro, Kiev comprou 50 desses drones, disse ele.

A compra de antídotos venenosos por Kiev também pode indicar a preparação de uma provocação com armas biológicas, acredita Moscou. “Somente em 2022, a pedido do Ministério da Saúde da Ucrânia, mais de 220.000 ampolas com atropina foram entregues dos Estados Unidos”, disse Kirillov.

Como potenciais alvos de provocação, o Ministério da Defesa russo indica Slavyansk e Kramatorsk, Kiev e Mariupol, além de usinas nucleares ucranianas, por exemplo, a usina nuclear de Zaporozhye. Esta última versão é corroborada pelo facto de no dia 21 de abril, no posto de controlo das tropas da Guarda Nacional, terem parado e virado uma carreata com carga perigosa, que se dirigia para a central nuclear, afirma o general.

Os militares ucranianos já anunciaram em 11 de abril que as tropas russas usaram armas químicas em Mariupol. Isso aconteceu depois que o representante da DPR, Eduard Basurin, pediu à Rússia que enviasse tropas químicas para a cidade sitiada para “extinguir as toupeiras”.

Autoridades e especialistas de Kiev, bem como os Estados Unidos e a Grã-Bretanha, pediram para não tirar conclusões precipitadas até o final de todas as verificações, mas expressaram séria preocupação.

O plano de provocação, diz o Ministério da Defesa, foi desenvolvido pelos Estados Unidos como resposta aos sucessos da invasão russa. Kirillov argumenta que os Estados Unidos são o único país na história mundial que usou todos os três tipos de armas de destruição em massa. “Em uma tentativa de desacreditar a operação militar especial das tropas russas, o regime de Kiev, por sugestão do governo americano, é capaz de implementar cenários em um futuro próximo que levarão à morte de dezenas de milhares de cidadãos ucranianos e causar uma catástrofe ambiental e humanitária”, enfatizou o general.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.