Governo da Ucrânia acusa Lula de fazer propaganda da Rússia na guerra e o coloca na lista de ‘oradores da desinformação’

Compartilhe

O governo da Ucrânia colocou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como uma das lideranças que promoveu um discurso a favor da Rússia durante a guerra. O brasileiro foi colocado em uma lista de “oradores que promoveram narrativas de propaganda russa”.

O relatório está disponível em um site chamado Centro de Combate à Desinformação, que foi criado pelo governo Zelensky. A plataforma serve para dar informações sobre o conflito do país com a Rússia sob o ponto de vista de Kiev.

De acordo com a lista, Lula é acusado de ter afirmado que a Rússia deveria liderar uma “nova ordem mundial”. O petista também declarou que os presidentes da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e da Rússia, Vladimir Putin, possuem a mesma responsabilidade sobre a guerra.

Apesar da afirmação ucraniana, não há nenhum registro que o ex-presidente brasileiro tenha dito que os russos deveriam liderar uma nova ordem mundial. Já a segunda fala foi feita para a revista Time, em 4 de maio deste ano.

“Fico vendo o presidente da Ucrânia na televisão como se estivesse festejando, sendo aplaudido em pé por todos os parlamentos, sabe? Esse cara é tão responsável quanto o Putin”, disse o petista na ocasião.

Também fazem parte da lista nomes como o diretor do Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Columbia, Jeffrey D. Sachs, e o jornalista Gleen Greenwald.

A invasão russa ao leste da Ucrânia começou no dia 24 de fevereiro deste ano. Mesmo com algumas reuniões,  as lideranças da Rússia e ucranianas não chegaram a um acordo para dar um ponto final no conflito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.