Gripe sazonal H1N1pode ser descendente do vírus que causou a gripe espanhola, diz estudo

Compartilhe

A gripe sazonal H1N1, que afeta o mundo hoje, pode ser descendente direta do vírus que causou a gripe espanhola que causou a pandemia de 1918, segundo um estudo publicado terça-feira pela revista científica Nature Communications.

A gripe espanhola foi a pandemia respiratória mais mortal do século 20, atingindo seu ponto mais extremo em 1918. Estima-se que tenha ceifado a vida de 50 a 100 milhões de pessoas na Europa. 

Uma equipe liderada por Sébastien Calvignac-Spencer, do Instituto Robert Koch (Alemanha), analisou 13 amostras preservadas no Museu de História da Medicina de Berlim e no Museu Austríaco de História Natural. São tecidos pulmonares de pacientes que morreram entre 1901 e 1931, seis deles entre 1918 e 1919.

Os cientistas conseguiram sequenciar dois genomas parciais do H1N1 em 1918 amostras de Berlim; e um genoma completo do vírus em uma das amostras de Munique do mesmo ano. 

A sequência dos genomas e uma análise da evolução do vírus ao longo do tempo levaram à conclusão de que os segmentos genômicos da atual gripe sazonal H1N1 podem descender da cepa inicial de 1918.

Segundo os pesquisadores, esses resultados contrariam hipóteses anteriores sobre o surgimento da atual gripe sazonal.

Esse mesmo processo de variação pode ocorrer com as variantes do Sars-CoV-2 causadoras da atual pandemia de covid-19, e que em alguns países ultrapassou os números de óbitos relatados pela gripe espanhola.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.