Irã ameaça atacar o coração de Israel se fizer “o menor movimento” contra a nação iraniana

Compartilhe

O presidente iraniano, Ebrahim Raisi, alertou na segunda-feira que Israel será alvo das forças armadas de seu país se fizer “o menor movimento” contra o Irã.

Raisi dirigiu-se a Israel diretamente durante um discurso em um desfile anual das forças armadas do Irã.

“Se você fizer o menor movimento contra a nação do Irã, o centro do regime sionista será o alvo de nossas forças armadas”, disse Raisi, referindo-se a Tel Aviv.

Raisi não deu mais detalhes, mas disse que o Irã observa qualquer movimento de Israel “de perto”.

Ele falou enquanto as negociações paravam em Viena sobre um acordo para conter as capacidades nucleares do Irã. As negociações patrocinadas pela Europa esperam salvar o Plano de Ação Conjunto Abrangente de 2015, que deu ao Irã alívio das sanções em troca de restrições em seu programa nuclear destinado a impedi-lo de obter uma arma.

O acordo desmoronou após a saída dos EUA em 2018, após a qual o Irã abandonou alguns de seus próprios compromissos, expandindo enormemente seu trabalho nuclear e enriquecendo urânio a níveis que o órgão de vigilância nuclear da ONU disse serem perseguidos apenas por nações que buscam armas nucleares.

Israel se opõe a um acordo, dizendo que não faz o suficiente para conter o programa nuclear do Irã ou suas atividades militares em toda a região. Autoridades israelenses disseram que farão unilateralmente o que for necessário para proteger seu país.

Raisi também disse que “o maior componente do poder em nosso sistema é o povo e as forças armadas revolucionárias”.

Ele disse que a prontidão das forças armadas traz esperança “para os amantes da Revolução Islâmica… e sua mensagem para o inimigo é que nossas forças armadas têm o poder de impedir qualquer movimento do inimigo”.

O Irã não reconhece Israel desde a Revolução Islâmica de 1979, que derrubou a monarquia pró-Ocidente e levou os islâmicos ao poder. Apoia grupos terroristas anti-israelenses, como o Hamas e o Hezbollah, com sede no Líbano.

Raisi disse que o Exército conseguiu melhorar suas capacidades, apesar de anos de sanções ao país devido ao programa nuclear de Teerã. O desfile de segunda-feira apresentou caças a jato, helicópteros, drones e sistemas de defesa aérea, bem como tanques militares, mísseis e embarcações navais.

Nos últimos anos, Israel melhorou as relações com as nações árabes vizinhas no Golfo Pérsico, o que irritou os líderes iranianos. Teerã também culpou Israel pela sabotagem de suas instalações nucleares e pelos assassinatos de seus cientistas nucleares.

As agências de inteligência dos EUA e a AIEA acreditam que o Irã tinha um programa nuclear militar organizado até 2003. O Irã insiste que seu programa nuclear visa gerar energia e para fins médicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.