Japão diz que mísseis chineses caíram na sua zona econômica

Compartilhe

Tóquio expressou seu protesto a Pequim na quinta-feira depois que cinco mísseis chineses caíram em sua zona econômica exclusiva, informou a mídia local , citando o vice-chanceler japonês, Takeo Mori.

Assim, Takeo Mori teve uma conversa telefônica com o embaixador chinês no Japão sobre o incidente, na qual exigiu a cessação imediata das manobras militares.

“O fato de [os mísseis] terem pousado em águas próximas ao nosso país, incluindo a zona econômica exclusiva, é uma questão de segurança nacional. É um grave problema de segurança humana”, disse o alto funcionário. Ele também acrescentou que “as ações da China têm um sério impacto na paz e estabilidade da região e da comunidade internacional”.

O Exército de Libertação do Povo Chinês (PLA) lançou nesta quinta-feira exercícios militares de larga escala “sem precedentes” e atividades de treinamento, incluindo exercícios de tiro real, no espaço marítimo e aéreo em seis áreas ao redor de Taiwan. Os exercícios, que acontecem a partir das 12h (hora local) desta quinta-feira, devem terminar no domingo, 7 de agosto, ao meio-dia.

Os exercícios acontecem após a visita da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, a Taiwan. Da China , eles declararam que a viagem do alto funcionário dos EUA viola a soberania e a integridade territorial do país, ao mesmo tempo em que representa “uma violação grave” do princípio de uma só China e dos três comunicados conjuntos entre Washington e Pequim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.