La palma é sacudida por terremoto de 4,5 graus em meio ao avanço da erupção do Cumbre Vieja

Compartilhe

A lava já enterrou cerca de 680 hectares e destruiu mais de 1.500 edifícios. Nas últimas horas, além disso, foram registrados mais de 300 terremotos.

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha canária de La Palma (Espanha), continua sem trégua para os vizinhos, enquanto os três riachos atualmente ativos continuam seu avanço. Além disso, nas últimas 24 horas, houve um aumento da atividade sísmica que resultou em mais de cinquenta terremotos e um terremoto de magnitude 4,5, o de maior intensidade desde o início da erupção, no último dia 19 de setembro.

Além disso, imagens impressionantes de raios vulcânicos também foram apreciadas. Um evento espetacular, mas comum em processos eruptivos, segundo especialistas. É produzido pelo atrito entre as rochas ejetadas pelo vulcão, que são lançadas em alta velocidade, causando cargas de eletricidade.

O avanço dos três riachos, a 50 metros por hora o mais rápido, já causou a evacuação de mais 300 moradores nesta quinta-feira, que têm até as 17h (local) para desocupar as casas com seus pertences e animais de estimação.

Este último despejo ocorre após a decisão de evacuar um bairro inteiro do município de Aridane na noite de quarta-feira. Há dois dias, cerca de 700 moradores da cidade de La Laguna tiveram que deixar suas casas.

No total, cerca de 7.000 pessoas permanecem deslocadas de suas residências, enquanto línguas de fogo já devastaram mais de 680 hectares e destruíram mais de 1.500 edifícios, incluindo casas, lojas, empresas e bananeiras.

Além disso, o fluido incandescente arrastou dezenas de quilômetros de estradas e danificou inúmeras infraestruturas , como instalações de abastecimento de energia ou água.

Enquanto isso, a fajana ou ilha baixa continua a crescer  , que começou a ser criada uma vez que a lava atingiu as águas atlânticas e ganhou o mar e mais de 34 hectares.

Após 26 dias de erupção, ainda não há sinais de exaustão . Assim, o tremor vulcânico ainda é muito intenso, a sismicidade não parece estar diminuindo e as emissões de dióxido de enxofre na atmosfera continuam em níveis muito elevados.

Foi o que confirmou o Presidente do Governo da Espanha, Pedro Sánchez, que compareceu esta quarta-feira desde a ilha de La Palma para relatar a situação na ilha e comunicar que, segundo os especialistas, “o vulcão não vai parar a qualquer momento em breve.”

“Infelizmente a notícia do comitê científico é que a atividade do vulcão não para e, portanto, não parece que nos próximos dias possamos ver uma redução ” , disse o presidente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.