Ministra alerta sobre ‘uma deterioração’ do status do Monte do Templo de Jerusalém

Compartilhe

O ministro da diáspora, Nachman Shai, disse no sábado que o delicado status quo no Monte do Templo de Jerusalém estava se deteriorando à medida que mais judeus acessavam o local sagrado, e alertou que haverá duras consequências.

“Há muito mais judeus que estão subindo ao Monte do Templo. Há alguns que param no caminho e rezam, o que era proibido”, disse Shai à emissora pública Kan.

“Há uma certa escalada, uma certa deterioração. Também com o status quo. Eles abriram o Monte e deixaram mais e mais judeus irem para lá”, disse Shai.

“O preço que pagaremos mais tarde, todos nós, será enorme”, disse ele.

O Monte do Templo é o lugar mais sagrado do judaísmo como local dos templos bíblicos. A Mesquita de Al-Aqsa, que fica no topo do monte, é o terceiro santuário mais sagrado do Islã.

Os judeus têm permissão para visitar o complexo, mas não podem orar ou realizar rituais religiosos, como parte do status quo sensível.

Nos últimos anos, alguns judeus linha-dura pressionaram para permitir a oração judaica no local em um movimento que vem ganhando força. A polícia no passado expulsou qualquer pessoa suspeita de oração, mas foi vista fechando os olhos para algumas orações judaicas lá.

Os judeus também têm visitado cada vez mais o local, com o feriado da Páscoa da semana passada trazendo um recorde de 4.600 visitantes judeus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.