Monte do Templo em Jerusalém tem novos confrontos entre palestinos e polícias; veja vídeos

Compartilhe

Confrontos e distúrbios eclodiram na tarde de sexta-feira no Monte do Templo, após as orações do Ramadã à tarde na Mesquita de Al-Aqsa. A calma foi finalmente restaurada no local sagrado.

O tumulto ocorreu horas depois de palestinos entrarem em confronto com a polícia israelense no local do ponto de inflamação na Cidade Velha de Jerusalém.

Várias centenas de pessoas brigaram com policiais, arremessando pedras e tumultos. O vídeo mostrou um drone da polícia lançando gás lacrimogêneo para dispersar uma multidão.

A polícia disse que a multidão tentou atacar um posto policial trancado no Monte com pedras. “A marcha foi dispersa usando meios de dispersão de distúrbios e atualmente está calmo na área”, disse a polícia em comunicado.

Anteriormente, dezenas de milhares de fiéis participaram das principais orações da terceira sexta-feira do mês sagrado muçulmano. Não houve números oficiais de comparecimento, mas relatos da mídia palestina e hebraica estimaram que 90.000 a 150.000 fiéis compareceram.

Após as orações, grandes multidões agitaram bandeiras palestinas e do Hamas e gritaram slogans em favor do grupo terrorista que governa Gaza, que havia pedido uma “ mobilização ” antes das orações.

Após as orações, grandes multidões agitaram bandeiras palestinas e do Hamas e gritaram slogans em favor do grupo terrorista que governa Gaza, que havia pedido uma “ mobilização ” antes das orações.

“Nós somos os homens de Muhammed Deif”, eles gritavam, referindo-se ao notório chefe da ala militar do Hamas, procurado por Israel há mais de 25 anos por orquestrar atentados suicidas, assassinatos e sequestros.

Alguns também gritaram sobre uma batalha do século VII em que forças muçulmanas massacraram e expulsaram judeus da cidade de Khaybar, na Península Arábica. Outro canto incluiu apelos para “resgatar Al-Aqsa” violentamente.

Entre os que estavam nas orações estavam os palestinos da Cisjordânia, que foram autorizados a visitar sujeitos a restrições impostas para o Ramadã.

De acordo com o Crescente Vermelho Palestino, um total de 57 palestinos ficaram feridos em meio aos confrontos, inclusive durante a violência na sexta-feira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.