Pentágono analisa 1.300 propostas de armas inovadoras para enviar à Ucrânia

Compartilhe

O Departamento de Defesa dos EUA está analisando 1.300 propostas de 800 empresas para armas novas e inovadoras e capacidades comerciais que podem desenvolver e produzir para enviar à Ucrânia, disse um oficial de defesa à CNN internacional na quinta-feira.

As propostas solicitadas pelo Pentágono diziam respeito a setores-chave, como capacidades de defesa aérea e costeira, armas antitanque e antipessoal, drones e ferramentas de comunicação segura, que foram identificadas por Kiev como necessidades militares essenciais.

O Pentágono está estudando essas propostas sob a iniciativa de “cumprir os pedidos prioritários de assistência de segurança da Ucrânia”, de acordo com o pedido original de ideias enviado à indústria. O objetivo principal é obter informações para acelerar a produção e aumentar a capacidade da base industrial, já que Washington pretende continuar apoiando a Ucrânia mesmo após o esgotamento de seus próprios arsenais, destaca a cadeia.

O plano do Pentágono para potenciais novos contratos parece urgente, pois está considerando tanto propostas que podem ser implementadas em menos de 30 dias quanto aquelas que exigem 180 dias ou mais para serem produzidas. Também solicita aos fabricantes detalhes sobre a disponibilidade de armas prontas para uso e o tipo de plataforma para sua implantação: aérea, terrestre ou marítima.

“Em particular, o Departamento está explorando opções que acelerariam a produção e aumentariam a capacidade na base industrial de armas e equipamentos que podem ser exportados rapidamente, implantados com treinamento mínimo e que se mostraram eficazes no campo de batalha”. o seu pedido de ideias à indústria.

Na semana passada, o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos EUA, John Kirby , disse que o fornecimento de armas dos EUA para a Ucrânia ajudaria Kiev a determinar os termos de um futuro acordo de paz com a Rússia.

O alto funcionário indicou que Washington está se preparando para o que poderia ser ” um conflito prolongado “, enquanto alguns líderes ocidentais sugeriram que o presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, deve desistir de alguns territórios em troca da paz em seu país, disse o porta-voz. Rádio Voz da América.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.