Pesquisadores da UFMG detecta nova linhagem da variante ômicron em MG inédita no Brasil

Compartilhe

Uma nova linhagem da variante ômicron do Sars-CoV-2 foi identificada em Minas Gerais pela equipe do CTVacinas da UFMG, que faz parte da Rede Vírus-MCTI e da Rede Corona-Ômica BR-MCTI. A variante BA.2.12.1, que é predominante nos Estados Unidos (EUA), é inédita no Brasil. 

O professor Flávio da Fonseca, pesquisador do CTVacinas, explicou que a nova linhagem é mais infecciosa que a ômicron. “Essa linhagem se dissemina com maior rapidez que as outras da ômicron presentes no país. Daí a nossa preocupação com a descoberta”, destacou.

O pesquisador, que também é vinculado ao Departamento de Microbiologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG, disse que a variante foi identificada em um evento internacional realizado no Rio de Janeiro. 

De acordo com ele, três pesquisadores de Belo Horizonte apresentaram sintomas da covid-19 e fizeram o exame RT-PCR. Ao ver o resultado, eles perceberam que as três amostras possuíam uma quantidade de vírus muito alta.

Conforme Flávio Fonseca, a identificação de novas linhagens é importante no contexto de vigilância epidemiológica. “Toda vez que surge uma variante, ela se subdivide em linhagens que podem ter características diferentes. As novas linhagens podem ser mais infecciosas, mais graves, mais transmissíveis ou mais resistentes a anticorpos vacinais ou de infecções prévias. Por isso, é importante monitorar a entrada de novas linhagens para verificar se aumentaram os casos de infecção e se essas novas linhagens vão se difundir”, disse o professor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.