Putin diz que o Ocidente quer dividir a sociedade russa e “destruir” o país por dentro, mas falha

Compartilhe

O Ocidente quer dividir a sociedade russa e “destruir” o país por dentro, mas não consegue, disse o presidente russo, Vladimir Putin, nesta segunda-feira, durante uma reunião do Colégio da Procuradoria-Geral.

“Outro objetivo [do Ocidente] está vindo à tona: dividir a sociedade russa, destruir a Rússia por dentro”, disse Putin, enfatizando que esses esforços não tiveram sucesso. O presidente garantiu ainda que a sociedade russa “mostra maturidade e coesão” e apoia as Forças Armadas de seu país.

Da mesma forma, Putin denunciou que o Ocidente “passou ao terror, à preparação de assassinatos” de jornalistas russos depois de fracassar no “campo da informação”.

Neste contexto, o chefe de Estado observou que os serviços de segurança estrangeiros parecem estar aconselhando Kiev sobre ataques contra jornalistas russos. “Conhecemos pelo nome os responsáveis ​​pelos serviços ocidentais, principalmente a CIA, que trabalham com as agências de segurança da Ucrânia”, disse ele.

Em particular, o Serviço de Segurança Russo (FSB) impediu uma tentativa de assassinato de um importante jornalista russo na segunda-feira, observou.

O presidente russo pediu ao Gabinete do Procurador-Geral “construir a base de provas necessária” para processar os crimes de neonazistas e seus cúmplices. “Peço ao Comitê de Investigação da Rússia, os órgãos de investigação, que documentem esses crimes em detalhes, identifiquem seus organizadores e perpetradores, iniciem processos criminais e os levem à sua conclusão lógica, ao tribunal”, acrescentou.

Além disso, Putin pediu ao Gabinete do Procurador-Geral que ajude os refugiados que chegam à Rússia, em particular, “fornecer assistência jurídica às pessoas e proteger seus direitos”. “Deve ser dada atenção especial aos que chegam à Rússia da Ucrânia e das repúblicas populares de Donetsk e Lugansk”, disse o presidente, enfatizando que aproximadamente um milhão de pessoas já chegaram ao país, incluindo mais de 100.000 crianças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.