Rússia acusa os EUA e a Europa de aumentar os preços dos alimentos ao adotar políticas verdes ‘imprudentes’

Compartilhe

O ministro das Relações Exteriores da Rússia culpou os EUA e os países europeus pelo aumento global dos preços dos alimentos em uma visita à África.

Sergei Lavrov também descartou “a chamada crise alimentar” ao falar com diplomatas africanos na capital da Etiópia, Adis Abeba.

Ele fez os comentários ao concluir uma visita a várias nações do continente que foram especialmente atingidos pela escassez de alimentos.

Muitos países africanos dependem fortemente das importações de trigo da Rússia e da Ucrânia, com líderes do continente visitando Moscou há algumas semanas para expressar suas preocupações com os suprimentos.

Isso ocorre quando a Rússia é acusada de agravar a crise alimentar global ao impedir que grãos sejam exportados dos portos ucranianos do Mar Negro.

Lavrov disse que o acordo inovador da semana passada para encerrar o bloqueio e fornecer corredores seguros para toneladas de grãos presos fora da Ucrânia “poderia ter sido anunciado há muito, muito tempo, se não fosse pela teimosia ocidental em insistir que eles estão sempre certos”.

Ele também acusou os Estados Unidos e os países europeus de aumentar os preços dos alimentos ao adotar políticas verdes “imprudentes” e até mesmo acumular alimentos durante a pandemia do COVID-19.

“A situação na Ucrânia também afetou negativamente os mercados de alimentos, mas não devido à operação especial russa, mas devido à reação absolutamente inadequada do Ocidente, que anunciou sanções”, disse Lavrov.

Os países ocidentais, por sua vez, apontaram repetidamente que os alimentos estão isentos de suas sanções à Rússia e culparam Moscou pela crise global.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.