Rússia diz que mercenários’ israelenses lutando com unidade ucraniana de extrema direita

Compartilhe

Uma porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia afirma que mercenários israelenses estão lutando ao lado do regimento de extrema-direita Azov na Ucrânia, alimentando ainda mais as tensões com Israel depois que a Rússia sugeriu que Adolf Hitler tinha “sangue judeu”.

“Mercenários israelenses estão praticamente ombro a ombro com militantes Azov na Ucrânia”, disse Maria Zakharova à rádio pró-Kremlin Sputnik em entrevista.

Azov ganhou destaque em 2014, quando seus ativistas de extrema-direita pegaram em armas para combater os separatistas pró-Rússia na região de Donbass, no leste da Ucrânia, mas desde então caíram sob o comando dos militares ucranianos.

Eles estão lutando ao lado do exército ucraniano contra as tropas russas, que em 24 de fevereiro lançaram uma campanha militar no país pró-ocidental.

Seus membros fazem parte da resistência ucraniana na cidade portuária de Mariupol, escondida dentro da siderúrgica Azovstal, contra a qual as forças russas lançaram um grande ataque na terça-feira.

Ao sugerir que os israelenses estão lutando ao lado de Azov – visto pela Rússia como “fascistas” e “nazistas” – Moscou está aumentando as tensões que começaram depois que o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse no domingo que Hitler tinha “sangue judeu”.

Suas observações provocaram indignação em Israel, que chamou a declaração de “imperdoável e ultrajante” e um “terrível erro histórico”.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia acusou na terça-feira Israel de apoiar “o regime neonazista em Kiev”. O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, é descendente de judeus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.