Rússia diz que vai se retirar da Estação Espacial Internacional após 2024, em meio a tensões com Ocidente devido a guerra na Ucrânia

Compartilhe

A Rússia disse que se retirará da Estação Espacial Internacional (ISS) após 2024 para se concentrar na construção de seu próprio posto orbital.

Yuri Borisov, que foi nomeado para liderar a empresa espacial estatal Roscosmos no início deste mês, disse durante uma reunião com o presidente Vladimir Putin que a Rússia cumpriria suas obrigações com outros parceiros antes de deixar o projeto.

Borisov disse que “a decisão de deixar a estação após 2024 foi tomada”.

Ele ocorre em meio a tensões contínuas entre Moscou e o Ocidente sobre a guerra na Ucrânia.

Em abril, o antecessor de Borisov, Dmitry Rogozin, disse que a Rússia interromperia a cooperação na ISS em resposta às sanções impostas à Rússia pela invasão da Ucrânia.

Ele argumentou que as sanções foram projetadas “para matar a economia russa, mergulhar nosso povo no desespero e na fome e deixar nosso país de joelhos” e disse que as relações normais só podem ser restauradas com o levantamento incondicional das medidas “ilegais”.

Apesar das crescentes tensões, a NASA e a Roscosmos concordaram no início deste mês para que os astronautas continuem pilotando foguetes russos e para os cosmonautas pegarem carona para a ISS com a SpaceX a partir do outono.

O acordo garantirá que a estação espacial sempre terá pelo menos um americano e um russo a bordo para manter ambos os lados do posto avançado em órbita funcionando sem problemas, disseram autoridades russas e da NASA.

No início deste ano, a NASA publicou planos para a ISS, que poderia ver a estrutura de 444.615 kg ser retirada de órbita em janeiro de 2031 e colidir com um “cemitério de naves espaciais” .

Ele disse que o laboratório continuará operando até 2030, mas seu futuro a longo prazo é insustentável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.