Rússia é a ‘ameaça mais direta’ ao mundo, diz chefe da União Europeia

Compartilhe

Presidente da Comissão Europeia chama a Rússia de “ameaça mais direta” à ordem internacional durante reunião anual de funcionários da UE em Tóquio.

A Rússia é a “ameaça mais direta” à ordem internacional por causa de sua invasão da Ucrânia, disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, na quinta-feira em Tóquio, no Japão.

A Rússia “é hoje a ameaça mais direta à ordem mundial com a guerra bárbara contra a Ucrânia e seu pacto preocupante com a China”, disse ela após se encontrar com o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, junto com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

As principais autoridades da União Europeia estão em Tóquio para uma rodada anual de negociações que vem com grande parte da comunidade internacional se unindo para pressionar Moscou sobre a guerra na Ucrânia e a preocupação também crescente com o papel da China.

“A invasão da Ucrânia pela Rússia não é apenas um assunto para a Europa, mas abala o núcleo da ordem internacional, incluindo a Ásia. Isso não deve ser tolerado”, disse Kishida, cujo governo aderiu a sanções duras contra Moscou, inclusive sobre energia.

A postura cada vez mais forte de Pequim na Ásia também estava na agenda, com a UE procurando assumir um papel mais importante no confronto com a China .

“Nossa cooperação na Ucrânia é fundamental na Europa, mas também é importante no Indo-Pacífico e também queremos aprofundar nossa consulta sobre uma China mais assertiva”, disse Michel.

“Acreditamos que a China deve se levantar para defender o sistema multilateral do qual se beneficiou no desenvolvimento de seu país.”

O presidente russo, Vladimir Putin, prometeu terminar o que chamou de “ operação militar especial ”. ” para tomar território da Ucrânia, que Moscou considera historicamente ser russa. Ele culpou as nações da OTAN e seus aliados por instigar a batalha atualmente em andamento na Ucrânia.

Milhares de pessoas foram mortas desde o início da guerra em 24 de fevereiro e milhões de deslocados.

O chefe de direitos humanos da ONU disse na quinta-feira que 1.000 corpos foram recuperados na área da capital ucraniana Kiev nas últimas semanas, acrescentando que muitas das violações que está verificando desde a invasão russa podem equivaler a crimes de guerra.

“A escala de assassinatos ilegais, incluindo indícios de execuções sumárias em áreas ao norte de Kiev, é chocante”, disse Michelle Bachelet ao Conselho de Direitos Humanos de Genebra por meio de um discurso em vídeo.

Von der Leyen disse que a UE e o Japão estão intensificando a cooperação, inclusive com o lançamento de uma parceria digital, a primeira na Europa, que se concentrará na competitividade e segurança no campo.

Ela disse que os dois lados também trabalharão para “diversificar e fortalecer nossas cadeias de suprimentos”.

“Isso é importante porque existem materiais e tecnologias que se tornaram essenciais para nossa economia e vida cotidiana, como semicondutores, por exemplo”, disse von der Leyen.

“Devemos poder contar com cadeias de suprimentos confiáveis.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.