Rússia sofre duro golpe, União Europeia concederá status de candidatura à Ucrânia

Compartilhe

O Parlamento Europeu votou nesta quinta-feira a favor da concessão do status de candidato da União Europeia à Ucrânia, enquanto os combates no país devastado pela guerra continuam, quatro meses após a invasão russa.

Dos 588 votos , uma esmagadora maioria de 529 foi a favor da resolução, enquanto apenas 45 foram contra; 14 funcionários se abstiveram da proposta. Os políticos também aprovaram a candidatura da UE para a Geórgia e a Moldávia.

O Parlamento apelou a todos os “Chefes de Estado ou de Governo… que concedam o estatuto de candidato à UE à Ucrânia e à República da Moldávia ‘sem demora’”, de acordo com  um comunicado de imprensa . Membros do Parlamento Europeu (MEP) também pediram aos líderes que concedam a candidatura da Geórgia, mas apenas quando “’seu governo cumprir’ as prioridades indicadas pela Comissão Europeia”.

O presidente do Parlamento ucraniano agradeceu aos deputados pelo voto e pela aprovação da resolução. “Mais uma vez, o Parlamento Europeu demonstra seu apoio inabalável às aspirações da Ucrânia na UE”, escreveu o presidente Ruslan Stefanchuk no Facebook .

“Obrigado, [presidente do Parlamento Europeu] Roberta Metsola, por adotar a resolução simbólica relevante hoje. A Ucrânia é um país da UE. E lutamos por esse direito não apenas no campo de batalha, mas também na esfera jurídica”.

Para que os países adiram ao bloco, eles serão obrigados a realizar uma série de reformas políticas e econômicas. De acordo com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, a Ucrânia “já implementou cerca de 70% das regras, normas e padrões da UE”. Ela acrescentou, no entanto, que muito precisa ser feito nas áreas de “estado de direito, oligarcas, anticorrupção e direitos fundamentais”.

O Conselho Europeu, que reúne os chefes de todos os governos do bloco de 27 membros, terá a votação final. Se um ou mais dos membros não apoiarem a decisão, a resolução não passa, pois o conselho funciona em um resultado consensual.

Na quarta-feira, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky disse que conversou com 11 líderes do bloco após nove ligações com outros líderes no dia anterior. Zelensky disse que a reunião seria uma “sessão histórica do Conselho Europeu”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.