Terceira Guerra Mundial foi declarada’ devido a invasão da Rússia na Ucrânia, diz Papa Francisco

Compartilhe

O líder da Igreja Católica Romana, Papa Francisco, declarou que a “Terceira Guerra Mundial” começou devido à invasão da Ucrânia pela Rússia e que “não há mocinhos e bandidos metafísicos” participando desta calamidade.

Na terça-feira, o jornal católico America Magazine sinalizou que o papa fez seus comentários à publicação jesuíta italiana “La Civiltà Cattolica”, bem como ao jornal secular “La Stampa”. A entrevista foi divulgada em 14 de junho.

“O mundo está em guerra”, afirmou o Papa Francisco. “Para mim, hoje, a Terceira Guerra Mundial foi declarada. Isso é algo que deve nos fazer parar para pensar. O que está acontecendo com a humanidade que tivemos três guerras mundiais em um século?”

O papa também sugeriu que a situação não é tão simples quanto a mídia apresenta.

“Sou simplesmente contra reduzir a complexidade à distinção entre mocinhos e bandidos sem raciocinar sobre raízes e interesses, que são complexos”, disse o Papa Francisco. “Enquanto vemos a ferocidade, a crueldade das tropas russas, não devemos esquecer os problemas reais se queremos que eles sejam resolvidos.”

Quando perguntado: “Quais são suas sugestões para comunicar a situação em que estamos vivendo? Como podemos contribuir para um futuro pacífico?”

“Para responder a esta pergunta, temos que nos afastar do padrão normal de ‘Chapeuzinho Vermelho’: Chapeuzinho Vermelho era bom e o lobo era o vilão”, respondeu o papa. “Aqui não há mocinhos e bandidos metafísicos, em um sentido abstrato. Algo global está surgindo, com elementos que estão muito interligados.”

O papa também explicou por que acreditava que a Rússia foi possivelmente “provocada” à guerra.

“… alguns meses antes do início da guerra, conheci um chefe de Estado, um homem sábio, que fala muito pouco, muito sábio mesmo”, disse o papa aos meios de comunicação europeus, “depois de conversarmos sobre as coisas que ele queria falar sobre, ele me disse que estava muito preocupado com a maneira como a OTAN estava se movendo.”

“Perguntei a ele por que, e ele disse: ‘Eles estão latindo nos portões da Rússia. Eles não entendem que os russos são imperialistas e não permitirão que nenhuma potência estrangeira se aproxime deles’”, continuou o papa. “Ele concluiu: ‘A situação pode levar à guerra.’ Esta era a opinião dele. Em 24 de fevereiro, a guerra começou. Aquele chefe de Estado foi capaz de ler os sinais do que estava acontecendo.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.