Trump diz que os EUA é uma nação falida, e culpa Biden por altas taxas de criminalidade

Compartilhe

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, culpou o atual inquilino da Casa Branca, Joe Biden, pelos altos índices de criminalidade que existem no país norte-americano, como declarou em discurso  durante evento de campanha realizado nesta sexta-feira em Las Vegas, no estado de Nevada.
“Não teremos mais um país se essa crescente barbárie não for rapidamente revertida e interrompida, a onda de violação da lei deve terminar imediatamente”, disse ele. “Se vamos tornar a América grande novamente, nossa primeira tarefa é torná-la segura novamente”, acrescentou.

Da mesma forma, indicou que o objetivo do ato era debater sobre quais medidas devem ser tomadas para deter a “onda mortal de anarquia e caos” que, assegura, vem varrendo seu país “como nunca antes” se viu, criticando a presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, e o líder da maioria no Senado, Chuck Schumer.

” O estado de direito entrou em colapso diante de nossos olhos sob as fracas políticas anticrime do governo Biden, o Congresso Pelosi-Schumer, democratas radicais de esquerda nos níveis estadual e local”, continuou ele.

Zona de guerra”

Nesse sentido, ele destacou que as cidades governadas pelo Partido Democrata estão experimentando índices recordes de criminalidade, detalhando que no ano passado 16 cidades americanas registraram um recorde no número de homicídios, enquanto o número de assassinatos em todo o país atingiu seu nível mais alto nos últimos 25 anos. Ele até se referiu a Chicago como uma “zona de guerra”.

Por outro lado, ele afirmou que sua fronteira está em um “estado de anarquia brutal e violenta ” à medida que “milhões de pessoas sem controle” entram em território norte-americano. “Simplificando, somos uma nação em declínio. Somos uma nação fracassada”, lamentou, antes de dar a entender que poderia concorrer às eleições presidenciais de 2024 oferecendo uma solução para mudar o país.

Por outro lado, Trump prestou homenagem ao ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, que morreu esta sexta-feira após ser baleado. “Ele era um homem de tremenda coragem moral, uma pessoa fantástica… Seu assassinato não é apenas uma atrocidade grave, é uma perda devastadora para o mundo inteiro”, disse ele.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.