Abel Braga entrega o cargo e não é mais treinador do Fluminense

Compartilhe

Após empate com o Unión Santa Fe e vaias da torcida, técnico decide deixar a equipe. Campeão carioca, Abelão encerra quarta passagem no clube com seu maior aproveitamento: 70,5%


Abel Braga não é mais o treinador do Fluminense. Após o empate sem gols com o Unión Santa Fe, na terça-feira, no Maracanã, que complicou a vida do clube na Sul-Americana, o técnico decidiu entregar o cargo nesta quinta. A diretoria do clube informou que Marcão, que comandou a equipe no fim das últimas duas temporadas, vai assumir interinamente o time.

Abel Braga observa o jogo do Fluminense contra o Unión Santa Fe no Maracanã — Foto: André Durão

Abel Braga observa o jogo do Fluminense contra o Unión Santa Fe no Maracanã

Abel Braga retornou ao Fluminense no início da temporada. Este ano, comandou o clube em 26 jogos, com 17 vitórias, 4 empates e 5 derrotas. Ao todo, a equipe marcou 35 gols e sofreu 15. Nesse período, o Fluminense conquistou a Taça Guanabara e voltou a vencer o Campeonato Carioca após 10 anos. Ao todo, ele ganhou três campeonatos cariocas (2022, 2012 e 2005) e um Brasileiro (2012).

Abel encerra sua quarta passagem pelo clube com seu aproveitamento mais alto com a camisa tricolor: o técnico teve 70,5% em 26 jogos em 2021; 48,3% em 109 jogos entre 2017 e 2018; 60,5% em 142 jogos entre 2011 e 2013; e 56,8% em 75 jogos em 2005. Abelão é o segundo treinador que mais defendeu o clube na história com 352 partidas, atrás apenas de Zezé Moreira, com 497.

Quem deve ser o novo treinador do Fluminense após a saída de Abel Braga?

Em coletiva esta semana, Abel Braga ressaltou desgaste do time: “Negócio está bravo”

Apesar da pressão interna por resultados, Abel tinha o respaldo da diretoria, mas acabou decidindo deixar o clube depois de não conseguir repetir o bom desempenho que o time teve contra o Flamengo nos jogos seguintes à final do Carioca.

Em nota publicada nas redes sociais do clube, o Fluminense se manifestou na manhã desta quinta-feira sobre a saída do treinador.

Nos últimos meses, mesmo nos momentos de reclamações dos torcedores, Abel Braga enfatizou diversas vezes o carinho que tem pelo clube. Na entrevista coletiva após o título carioca, ele se declarou ao Fluminense.

– Aqui tudo começou para mim. Era um menino, que morava na Penha, estudava, classe média meio baixa, mas fui aprendendo muito, com meu primeiro treinador, uma série de pessoas, até que chega aquele momento profissional que tem de deixar o sentimento um pouco de lado. Fui para o Vasco, que é um grande clube, seleção brasileira, Paris Saint-Germain… Mas isso não quer dizer esquecimento. A relação com o tricolor é muito forte. Não sou e nem quero ser unanimidade, isso não existe em lugar nenhum, mas tenho certeza de que a torcida do Fluminense gosta muito de mim, da mesma maneira que os amo.

No mesmo dia, o treinador recebeu elogios de Fred, um dos maiores ídolos da história do clube.

– O Abel é um guerreiro. Se bobear, o primeiro título dele deve ter 40, 35 anos. E ele está ganhando até hoje. É um cara merecedor, ele e a comissão toda. Tem uma história de vida, de identificação. O sangue dele é tricolor.

Na quarta passagem pelo Fluminense, Abel Braga conquistou o Carioca, mas não embalou

Na semana após a conquista, viralizou um discurso de Abel durante cerimônia da instalação da taça de campeão carioca na sala de troféus das Laranjeiras. Na ocasião, o treinador aproveitou para provocar o Flamengo, que foi o vice-campeão e tinha vivido manhã de protestos da torcida no Ninho do Urubu. A provocação gerou debates. O treinador, logo na sequência, emitiu nota e afirmou ser da paz.

Sem Abel Braga, o Tricolor volta a campo no domingo para encarar o Coritiba, às 16h (de Brasília), no Couto Pereira, pelo Brasileirão. A equipe ocupa a 13ª posição, com quatro pontos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.