Bill Gates afirma que as vacinas atuais não são boas para bloquear infecções e pede a criação de ”vacinas duradouras”

Compartilhe

O fundador da Microsoft lembrou ainda que os riscos associados às novas pandemias residem nos países que “nas próximas décadas” não terão capacidade para as enfrentar.

Bill Gates considera que o mundo precisa de vacinas muito mais eficazes do que as disponíveis hoje para lidar com doenças e qualquer pandemia, e alerta para o risco de não conseguir diagnosticar patógenos a tempo em toda a população de cada país do mundo.

“Daqui a dez anos, devemos ter uma tecnologia de diagnóstico muito, muito melhor, capaz de cobrir todos os países em um mês para diagnosticar toda a sua população”, disse Gates na terça-feira no Fórum Econômico Mundial em Davos. Ele também explicou que também deveria haver terapias “muito melhores”, algumas das quais seriam ” independentes de patógenos “.

Em relação às vacinas, o fundador da Microsoft afirmou que precisamos daquelas que “ bloqueiem a infecção e sejam duradouras”, ao contrário das existentes. “As vacinas salvaram milhões de vidas, mas não oferecem muito em termos de duração e não são boas para bloquear a infecção”, resumiu.

Além disso, lembrou que para lidar com uma pandemia não se deve demorar a aplicar as medidas necessárias, justamente o que ninguém implementa a nível global, enquanto países com poucos recursos não são capazes de lidar sozinhos com os novos surtos de infecções .

“Pode haver mais atraso na reação se tivermos um país com pouca capacidade e não tivermos uma equipe global. As pessoas sempre dizem: ‘Vamos ajudar os países a fazer melhor’. Sim, devemos ajudar os países a fazer melhor, mas muitos Os riscos da pandemia estão nos países que nas próximas décadas não terão essa capacidade local. Portanto, você precisa ter a capacidade global se levar a sério as pandemias”, concluiu Gates.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.