Câmara rejeita destaque e mantém estado de emergência na PEC das bondades em vitória do governo

Compartilhe

Após uma manobra para garantir quórum, os deputados rejeitaram um destaque, uma modificação ao texto, sobre o estado de emergência na proposta de emenda à Constituição (PEC) das bondades, que autoriza o governo a gastar R$ 41,2 bilhões para conceder benefícios a menos de três meses das eleições, burlando as legislações fiscais e eleitorais. Manter o dispositivo no texto é vitória para governo.

Para garantir a presença de deputados nessa votação, foi permitido o registro remoto de presença na sessão. Dessa forma, 503 deputados votaram. Foram 361 votos pela manutenção do texto e 142 pela mudança.

O destaque, proposto pelo PT, propunha a retirada da menção ao estado de emergência da PEC. Na avaliação do partido, isso seria dar um cheque em branco ao presidente Jair Bolsonaro. Já para o governo, era crucial manter esse dispostivo, o que garante uma blindagem ao presidente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.