Coreia do Norte alerta que atacará Coreia do Sul com armas nucleares se for atacada

Compartilhe

A irmã do líder norte-coreano, Kim Yo-jong, ressaltou que “se o Exército sul-coreano não realizar nenhuma ação militar” contra seu vizinho, não será considerado alvo de ataque

Pyongyang não considera Seul seu principal adversário, nem pretende atacá-lo primeiro, mas está disposto a usar armas nucleares contra seu vizinho no caso de uma escalada, disse Kim Yo-jong, irmã do líder norte-coreano Kim Jong- un, na segunda-feira, vice-diretor do departamento do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores.

“Já deixamos claro que a Coreia do Sul não é nosso principal inimigo . Em outras palavras, isso significa que, se o Exército sul-coreano não realizar nenhuma ação militar contra nosso Estado, ele não será considerado o alvo de nosso ataque”, acrescentou. disse o alto funcionário, citado  pela Korea Central Telegraph Agency (KCNA).

“Se ninguém nos provocar, nunca atacaremos primeiro”, disse ele. “No caso de a Coreia do Sul optar por um confronto militar conosco, nossa força de combate nuclear inevitavelmente terá que cumprir seu dever “, declarou Kim Yo-jong, detalhando que “a missão principal da força nuclear é, antes de tudo, impedir essa guerra. , mas em caso de guerra sua missão será eliminar as forças armadas do inimigo de uma só vez. “Se a situação chegar a tal estágio, um terrível ataque será lançado e os militares sul-coreanos terão que enfrentar um destino miserável, nada menos que destruição total e ruína”, acrescentou.

Segundo o responsável, se os dois países entrarem em conflito, “toda a nação coreana sofrerá um desastre como o de meio século atrás, que poderá ser mais terrível, independentemente de qual lado ganhe ou perca”. Ele também enfatizou que Pyongyang é “definitivamente contra tal guerra “, acrescentando que “seu principal inimigo é a própria guerra”.

  • As declarações vieram em resposta a um alerta do ministro da Defesa sul-coreano, Suh Wook, que  na sexta-feira passada descreveu  a Coreia do Norte como um  país “inimigo”  e disse que os militares sul-coreanos têm uma variedade de mísseis com alcance de precisão e poder significativamente melhorado com o qual poderia “atingir com precisão e rapidez qualquer alvo” na nação vizinha
  • No último domingo, a irmã de Kim Yo-jong já  alertou  Seul sobre as graves consequências para as relações bilaterais e lembrou que Pyongyang é um “Estado com armas nucleares”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.