Irã terá armas nucleares em “algumas semanas ou menos”, diz Casa Branca em meio a preocupações de Israel

Compartilhe

O tempo de fuga do Irã para uma arma nuclear agora é “apenas algumas semanas ou menos”, disse o secretário de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, a repórteres na terça-feira.

Teerã acelerou muito seu programa nuclear depois que os Estados Unidos se retiraram unilateralmente do Plano de Ação Abrangente Conjunto de 2015 em 2018 sob o presidente Donald Trump, disse Psaki durante uma coletiva de imprensa.

O rápido progresso que o Irã fez desde “definitivamente nos preocupa”, disse ela.

A porta-voz reiterou uma avaliação compartilhada na terça-feira pelo conselheiro de segurança nacional dos EUA, Jake Sullivan, que disse que o progresso do Irã “é um impacto direto da retirada do acordo nuclear, tornando-nos menos seguros, dando-nos menos visibilidade. E é uma das razões pelas quais seguimos um caminho diplomático, novamente, quando o presidente assumiu o cargo.”

Psaki acrescentou que a Casa Branca informa Israel “regularmente” sobre as negociações em torno de um possível retorno ao acordo.

Na segunda-feira, Sullivan se reuniu em Washington, DC, com seu colega israelense, Eyal Hulata. Os dois discutiram “uma série de questões de segurança regionais e globais”, de acordo com um comunicado da Casa Branca.

 Sullivan enfatizou que os Estados Unidos estão sintonizados com as preocupações de Israel sobre ameaças à sua segurança, incluindo principalmente do Irã e proxies apoiados pelo Irã. Eles concordaram em aprimorar ainda mais a coordenação em andamento por meio do Grupo Consultivo Estratégico EUA-Israel e fortalecer a segurança e a cooperação diplomática sempre que possível com outros parceiros regionais”, disse o comunicado.

Os dois também discutiram a guerra na Ucrânia e a necessidade de continuar apoiando os parceiros ucranianos dos Estados Unidos, segundo a Casa Branca.

“Eles se comprometeram a continuar sua estreita coordenação na gama de questões de segurança de importância para os Estados Unidos e Israel, e esperam a visita do presidente Biden a Israel nos próximos meses”, continuou o comunicado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.