Nancy Pelosi exige ” resposta militar mais forte possível” e sanções mais duras” contra a Rússia por guerra na Ucrânia

Compartilhe

A presidente da Câmara dos Representantes do Congresso dos EUA, Nancy Pelosi, declarou que a guerra realizada por Moscou na Ucrânia requer  “a resposta militar mais forte possível “, enquanto “as sanções mais duras” são necessárias   contra a Rússia para ” mostrar que isso não é tolerável”. 

“Não devemos fazer nada menos diante da ameaça da Rússia”, disse Pelosi, citado pelo  The New York Times , depois de se reunir na segunda-feira com o presidente da Polônia, Andrzej Duda, e outros altos funcionários em Varsóvia.

Da mesma forma, a política revelou através de um  comunicado que a delegação do Congresso dos EUA, chefiada pela própria Pelosi, e o lado polonês abordaram durante a reunião “a centralidade da parceria entre os Estados Unidos e  a Polônia na entrega de segurança, ajuda econômica e assistência humanitária à Ucrânia , bem como  a importância de reforçar a aliança da OTAN  para combater a agressão de Putin”.

“Nossos membros expressaram o compromisso de continuar trabalhando juntos para aprofundar nosso relacionamento bilateral e, assim, avançar nossa segurança mútua”, disse ele. 

Pelosi  chamou  Duda  de “um parceiro valioso no apoio ao povo da Ucrânia”  e garantiu que os membros de sua delegação “expressaram a profunda gratidão dos Estados Unidos ao governo polonês e ao povo polonês por abrirem seus corações e lares aos refugiados ucranianos”. 

Recorde-se que a viagem à Polónia foi antecedida pela  visita  a Kiev. Pelosi, junto com a delegação, chegou à capital ucraniana no último fim de semana para se encontrar com o presidente do país, Vladimir Zelensky. De acordo com a política, os delegados vieram a Kiev para  “enviar uma  mensagem inequívoca e retumbante  ao mundo inteiro: os EUA estão firmemente com a Ucrânia”.

Zelensky , enquanto isso,  conferiu  a Pelosi a Ordem de terceiro grau da princesa Olga. Esta condecoração é atribuída por uma ” contribuição pessoal significativa  para o fortalecimento da cooperação bilateral” e “apoio a uma Ucrânia soberana, independente e democrática”.

A visita de Pelosi a Kiev e Varsóvia ocorreu no momento em que os EUA e outros países da OTAN continuam a fornecer armas à Ucrânia para continuar lutando contra a Rússia. Na quinta-feira passada, o presidente dos EUA, Joe Biden, pediu aos legisladores  mais US$ 33 bilhões  para Kiev, incluindo US$ 20,4 bilhões em assistência militar, US$ 8,5 bilhões em ajuda econômica direta e US$ 3 bilhões em ajuda humanitária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.